PROGRAMAÇÃO

PERFIL PAULO SERAU | MÚSICA NO MCB

PERFIL PAULO SERAU | MÚSICA NO MCB
Confira a homenagem do MCB a Paulo Serau.

Foto: Kriz Knack

#MÚSICANOMCB

Museu da Casa Brasileira homenageia Paulo Serau

O músico Paulo Serau, formado pela Faculdade e Conservatório Souza Lima no curso extensivo em Orquestração e pós-graduado pela Universidade São Judas Tadeu em História da Arte, também é compositor, arranjador, produtor de música popular brasileira e professor no Curso Técnico em Processos Fonográficos com ênfase em Produção Musical, ofertado pela Faculdade e Conservatório Souza Lima.

Serau já trabalhou com nomes como Alaíde Costa, Ângela Maria, As Galvão, Ayrton Montarroyos, Carlinhos Vergueiro, Carlos Lyra, Cauby Peixoto, Claudette Soares, Cristóvão Bastos, Elba Ramalho, Inezita Barroso, João Donato, Leci Brandão, Leny Andrade, Marcelo Jeneci, Maria Alcina, Mônica Salmaso, Sergio Santos e Zezé Motta. Já realizou a direção de músicas e arranjos para os projetos: “Elizeth Cardoso 100 Anos ao Vivo” (Biscoito Fino, 2020); “As Canções de Garoto” (Independente, 2019); “Canta Inezita! ” (Kuarup, 2019); “Duas Noites Para Dolores Duran” (Canal Brasil, 2015); “Cabocla Eu Sou”, de Inezita Barroso (TV Cultura, 2013), dentre outras produções.

Colaborou com a Secretaria Municipal de Cultura nos projetos “Samba na Formosa”, realizado no Centro Cultural Vila Formosa, em 2018, e “Choro no Mercadão’, realizado no Mercado Municipal Paulistano, em 2016. Paulo Serau também contribuiu na formação de alunos dos projetos sociais Guri Santa Marcelina – desde 2016 – e Projeto Guri, administrado pela Sustenidos – desde 2020 – com a produção de arranjos musicais.

O compositor lançou pela Choro Music dois livros: “Choro para Big Band” (2011) e “O Choro de Luiz Gonzaga” (2013), com o prêmio Funarte Centenário de Luiz Gonzaga 2012. Além disso, contribuiu com a produção de artigos para as publicações “Direito e Cinema Brasileiro” (Lisbon International Press, 2020) e “Direito e Música Brasileira” (Lumen Júris, 2020).

O produtor também realiza pesquisas sobre campo musical, sendo elas: “O papel do arranjo na música brasileira – História, Escuta e Debate” (Sesc São Paulo, 2021) e “Pixinguinha e Radamés em 78 rpm: escuta de discos de 78 rpm”, análise estética e transcrição dos arranjos de Pixinguinha e Radamés Gnattali (Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo, 2019).

Confira abaixo alguns dos trabalhos de Paulo Serau:

A Palavra e o Silêncio – Paulo Serau, autoral
Canção vencedora na categoria “Música Popular Brasileira” no Festival de Música Rádio MEC, 2019. Composição de Paulo Serau na interpretação de Hilda Maria e Sexteto Serau.

História de Pescador – Paulo Serau & Colab Caseir
Releitura da História de Pescadores, obra-prima de Dorival Caymmi, que relata a coragem e os desafios daqueles que vivem do mar. Com arranjos e direção de Paulo Serau. O colaborativo de músicos gravou em suas respectivas casas.


Duas Contas

Sorriu para Mim
As canções de Garoto é um projeto independente criado, dirigido e arranjado por Paulo Serau em homenagem ao compositor e multi-instrumentista Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto. O projeto contou com a presença da Grande Banda e do cantor e compositor mineiro Sergio Santos.

Pergunte aos meus Tamancos (Lupicínio Rodrigues e A. Gonçalves)
Samba de Breque, o Samba Perdido. Projeto com direção musical e arranjos de Paulo Serau, com a participação da cantora paulista Paula Sanches.

Um Nome de Mulher (Tom Jobim e Vinícius de Morais)
Em 2016, o primeiro disco de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, “Orfeu da Conceição”, completou 60 anos e, para prestigiar esse clássico da discografia brasileira, a Grande Banda, Mônica Salmaso e Sergio Santos apresentaram o projeto “Orfeu 60 anos”, com produção, direção musical e arranjos de Paulo Serau.

Asa Branca (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) por Hilda Maria, Luciano Ruas e Paulo Serau
Unidos para preservar a trajetória de dois grandes mestres da Música Popular Brasileira – Luiz Gonzaga e Dominguinhos – Hilda Maria, cantora e compositora, Luciano Ruas, pianista e arranjador, e Paulo Serau, violonista, arranjador e produtor musical, apresentam clássicos como “Asa Branca”, “Baião”, “Tenho Sede” e “Lamento Sertanejo”. Com construções poéticas em seus arranjos e interpretação vocal, o projeto apresenta, de forma contemporânea, a essência e genialidade desses dois mestres.

Estrela do Norte (Eduardo Gudin e Costa Netto) – Carla Casarim
Trabalho de direção musical e arranjos para Carla Casarim em um belíssimo tributo ao músico e compositor paulista Eduardo Gudin.

Sexteto Serau – Mojave (Tom Jobim)
Tributo a Tom Jobim, apresentado com o Sexteto Serau no Museu da Casa Brasileira.

A Voz do Brasil – Hilda Maria & Carlinhos Vergueiro
Celebrando quase 50 anos de carreira de Carlinhos Vergueiro, a cantora Hilda Maria e o violonista Paulo Serau apresentam sua obra através de um recorte sobre crônicas, personagens e lugares.

Inezita Barroso e Paulo Serau (TV Cultura – Lampião de Gás)
À frente de uma orquestra com mais de 20 músicos, Paulo Serau fez arranjos e dirigiu a parte musical do projeto que homenageou os 60 anos de carreira de Inezita Barroso.


Rumo Zona Oeste – Grande banda de Paulo Serau convida Cristovão Bastos
Projeto realizado na Virada Cultural de 2017.

Acompanhe o trabalho do artista pelos canais:
Instagram | Youtube | Facebook

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país realizada desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

Acompanhe o Museu da Casa Brasileira também pelas redes sociais.
Instagram | Facebook | Twitter | YouTube | LinkedIn | Spotify

RECEBA NOSSA PROGRAMAÇÃO

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório
Entrar em contato

ter. a dom. das 10h às 18h

Skip to content