PROGRAMAÇÃO

LANÇAMENTO VIRTUAL DO CATÁLOGO DA MOSTRA “CAMPOS DE ALTITUDE” DE KITTY PARANAGUÁ

Foto: Kitty Paranaguá

#MCBEMCASA

Exposição aberta à visitação no Museu da Casa Brasileira entre 2020 e 2021 ganha catálogo na próxima edição da revista ArqXP 

O Museu da Casa Brasileira – uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – realizará uma roda de conversa virtual para o lançamento do catálogo da exposição Campos de Altitude. O evento acontecerá ao vivo pelo Youtube do MCB no dia 07 de abril, a partir das 18h, com mediação do diretor técnico do Museu, Giancarlo Latorraca, e presença da fotógrafa Kitty Paranaguá, da curadora e pesquisadora Júlia Lima, e da pós-doutora em fotografia e antropóloga visual Yara Schreiber Dines.

O encontro online abordará histórias e significados por trás da série fotográfica que registrou moradias, moradores e paisagens em diferentes morros cariocas e celebrará – também – a realização do encarte de 24 páginas com textos e imagens sobre a mostra que estará disponível na 5ª edição da revista ArqXP.

A revista pode ser conferida pelo site https://arqxp.com/ ou adquirida na versão física, sob demanda pelo chat do Instagram @arq_xp.

A mostra
Inspirada pelo trabalho ‘Câmara Escura’, de Abelardo Morell, Kitty decidiu contrapor a vista dos moradores de morros do Rio de Janeiro às suas vivências cotidianas. De que forma? Fotografando o exterior a partir dos pontos de observação de 13 casas e projetando a imagem deste campo externo sobre o interior e seus moradores.

O resultado foi a descoberta de que as vidas se entrelaçam, a comunidade é uma extensão das moradias e o limite entre o público e o privado é tênue. Há uma tensão impedindo os moradores de usufruírem destas paisagens, que lhes é acessível aos sentidos, mas, muitas vezes, só se revela na forma de privações. É como se, metaforicamente, a luz da paisagem que invade suas casas lhes ofuscasse de forma impositiva.

As projeções sobre as moradias e os corpos que nelas habitam, em conjunto com os depoimentos coletados em áudio, desvendam um recorte da cidade. A exposição do MCB apresenta 15 fotografias produzidas nas comunidades Pavão Pavãozinho, Tavares Bastos, Chapéu Mangueira, Cantagalo, Vidigal e Rocinha.

SERVIÇO:
Mesa Redonda | Lançamento do catálogo “Campos de Altitude”
Dia 07 de abril, quarta-feira
Horário: a partir das 18h
Transmissão ao vivo pelo YouTube MCB
Gratuito

Sobre Kitty Paranaguá
Com quarenta anos de fotografia, Kitty Paranaguá iniciou sua carreira como repórter fotográfica no Jornal do Brasil, onde trabalhou por 4 anos. É formada em Jornalismo pela PUC-RJ e pós-graduada no curso Fotografia: Imagem, Memória e Comunicação pela UCAM-RJ. Trabalhou muitos anos como fotógrafa de arquitetura e interiores. Este convívio com os arquitetos lhe deu um olhar atento para a cidade. Quatro palavras costuram os seus ensaios: espaço, homem, paisagem e poesia. O ensaio “Copacabana”, publicado em 2011 pela editora Barléu, ganhou a menção honrosa no Festival Poy Latino Americano (Pictures of the Year) em 2013. Em 2014, com o Ateliê Oriente, recebeu o prêmio Arte e Patrimônio pelo projeto Caminhos Cruzados. Sua série “Campos de Altitude”, em 2017, representou o FotoRio no Photo Beijing (Pequim, China). Esta série se encontra exposta no Museu da Casa Brasileira (MCB), em SP, até abril de 2021. O ensaio Tempo Presente, segundo lugar no Prêmio Aliança Francesa 2019 (tema:  Fronteiras), está exposto online no link: http://www.prixphotoaf.com.br/

Seu trabalho está presente nas coleções Joaquim Paiva e da Maison Européenne de Photographie (MEP). É sócia fundadora e uma das coordenadoras do Ateliê Oriente, fundado em 2010, é um espaço cultural que atua prioritariamente na área de fotografia, com ênfase em ações educativas e troca de saberes.

 Sobre Julia Lima
Curadora e pesquisadora, é graduada em “Arte: História, Crítica e Curadoria” pela PUC-SP. Integrou o Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake e foi júri do Prêmio EDP 2016. Foi curadora da 2ª edição do programa de residência do Adelina Instituto e das mostras coletivas “Eu queria ser lida pelas pedras”; “Formas de Voltar para Casa”; “Ministério da solidão”; e “Ninguém vai tombar nossa bandeira”. Fez a curadoria e escreveu para diversas exposições individuais, incluindo as de Kitty Paranaguá (MCB), Felippe Moraes (FIESP), Élle de Bernardini (Verve Galeria), Bruno Novaes (Casa do Olhar) e Carlos Monroy (OC Oswald de Andrade). Atualmente, conduz a pesquisa “Elas Estão Aqui”, dá cursos de história da arte, colabora com veículos especializados, e realiza acompanhamento de artistas.

Sobre Yara Schreiber Dines
Pós-doutora em Fotografia pela Universidade de São Paulo, sob supervisão do Professor Doutor Tadeu Chiarelli. Doutora em Antropologia Social pela Pontifícia Universidade Católica e mestre em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo. Professora da Unesp Araraquara (2018), da Unesp Franca (2015), da Pós-Graduação em Cinema, Fotografia e Vídeo da Universidade Anhembi-Morumbi (2014-2017) e da Pós-Graduação em Estéticas Contemporâneas (2014), na Universidade Mackenzie. Autora do livro “Cidadelas da Cultura no Lazer – uma reflexão em antropologia da imagem do Sesc São Paulo (Editora do Sesc São Paulo, 2013) e de Hildegard Rosenthal e Alice Brill, fotógrafas de além-mar – cosmopolitismo e modernidade nos olhares sobre São Paulo (Editora Intermeios, no prelo). Curadora das exposiçõesHoli Festival – luz, cor e semeadura na Índia/Brasil” (2019), “Ilú Obá de Min, mãos negras que tocam tambores para Xangô” (2018, 2017), O alter ego de Hildegard Rosenthal, fotógrafa imigrante moderna” (2017, 2016), “Santuário de Pedro M. Caetano: Imagem, bricolagem e religiosidade popular no Campeche (SC)” (2014), dentre outras. Pesquisadora Associada do Grupo de Estudos em Arte & Fotografia – GEAF/USP e do Laboratório de Imagem e Som em Antropologia – LISA/ USP. Membro integrante do Coletivo Fotógrafos pela Democracia (SP).

Giancarlo Latorraca
Diretor técnico do MCB, arquiteto pela FAU-USP, doutorando na Escola de Design da mesma faculdade e professor licenciado da Escola da Cidade.

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, dedica-se, há 50 anos, à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país realizada desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SITE: mcb.org.br/
Museu da Casa Brasileira | Av. Faria Lima, 2705 | Tel.: (11) 3032-3727
Acompanhe o Museu da Casa Brasileira também pelas redes sociais.
Instagram | Facebook | Twitter | Youtube | Linkedin

RECEBA NOSSA PROGRAMAÇÃO

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório
Entrar em contato

ter. a dom. das 10h às 18h

Skip to content