PROGRAMAÇÃO

Mostra | Santos=Dumont Designer

O MCB se une às comemorações do centenário do vôo do 14-bis e apresenta uma exposição com enfoque inédito: mostra que Alberto Santos Dumont foi um designer completo, pioneiro na atividade em nosso país.

Com concepção e montagem do artista Guto Lacaz a mostra traz modelos em escala dos aviões 14-bis e Demoiselle voando dentro de dois túneis de vento, além de duas centenas de miniaturas deste último, demonstrando que este foi um projeto concebido para ser reproduzido. No jardim de 6.600 m2 do Museu, será recriado o ambiente do Campo de Bagatelle, em Paris, com a demonstração animada de vôos do 14-bis, bem como um modelo, em escala, do Dirigível nº 6, que estará nas proximidades de uma torre Eiffel estilizada, instalada numa base giratória.

“A beleza do design de Santos Dumont é o resultado da relação entre economia de meios, leveza de execução e clareza de objetivos. Em suma, da simplicidade”, diz Guto Lacaz, que há 14 anos “descobriu” os talentos de Santos Dumont e desde então vem estudando em profundidade a sua obra.

“A elegância e a unidade do conjunto da obra de Santos Dumont surpreende ao revelar a multiplicidade de seus talentos, motivo de orgulho e admiração dos brasileiros pelo seu pioneirismo na área tecnológica”, diz o artista. Segundo ele, que Santos Dumont não só projetou, como também construiu e pilotou cada uma das 22 aeronaves que criou ao longo de 10 anos, “portanto tinha consciência total do produto”.

Adélia Borges, diretora do Museu da Casa Brasileira, afirma que “o conhecimento de mecânica, de tecnologia e de materiais habilitava Santos Dumont a materializar soluções para diferentes necessidades em objetos ou mecanismos perfeitamente funcionais. Um raro senso de elegância, por sua vez, permitia-lhe ir além da praticidade para se distinguir também pelo apuro das formas. Somadas, essas habilidades tornam Santos Dumont um designer na mais completa acepção da palavra”.

O projeto envolveu ainda nomes como Fernando Martini Catalano, professor de Engenharia Mecânica da USP- São Carlos, que fará parte das instalações da exposição, e Henrique Lins de Barros, físico e pesquisador titular do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, no Rio de Janeiro, que prestou consultoria. A empresa Elo 3 coordenou toda a produção da exposição e viabilizou sua realização.

A grafia do nome escolhido por Guto Lacaz, Santos Dumont, vem da reprodução de uma assinatura do próprio aviador. Descendente de franceses por parte do pai e de brasileiros por parte da mãe, Alberto gostava de expressar que, em sua visão, ambas as nacionalidades tinham igual peso. Em alguns momentos agregou os dois sobrenomes com um hífen (Santos-Dumont), em outros colocou o sinal de igual (Santos=Dumont).

A mostra se tornou realidade com o patrocínio cultural da Aços Villares, empresa que homenageia e valoriza a genialidade de Santos Dumont.

14-bis e Demoiselle
Na exposição haverá dois túneis de vento. Num deles, estará o modelo em escala do 14-bis. Como se poderá observar, seu vôo é quase em marcha-ré, exatamente como aconteceu no dia 23 de outubro de 1906 no Campo de Bagatelle, em Paris.

No outro túnel de vento, estará o modelo em escala do Demoiselle, de 1907, o primeiro modelo de aeronave a ser produzido em série, aproximadamente 200 unidades. Santos Dumont não patenteou nenhuma de suas criações, pois achava que a humanidade poderia e deveria se beneficiar com elas. No caso do Demoiselle, foi além e publicou seus desenhos técnicos, deixando assim as pessoas livres para fabricá-lo. O Demoiselle – que recebeu esse nome por sua graciosidade e semelhança com as libélulas – tornou-se, assim, o primeiro avião popular.

Vôos animados no jardim do MCB
Nos 6.600 m2 do jardim do Museu da Casa Brasileira será recriado o ambiente do Campo de Bagatelle, em Paris. Duas vezes ao dia, serão realizadas demonstrações mecânicas dos vôos do 14-bis, com modelos em escala. Serão dois trilhos, nos quais o 14-bis correrá.Um deles reproduz o vôo feito na manhã de 23 de outubro de 1906, quando Santos Dumont não conseguiu vencer a prova. O outro é o vôo realizado no mesmo dia à tarde, quando o 14-bis chegou a voar 60 metros, o primeiro vôo de um objeto mais pesado que o ar.

Triciclo, dirigíveis e hidroplano
Na exposição também haverá uma simulação da primeira experiência de Santos Dumont com a possibilidade de voar. O modelo em escala de um triciclo movido a petróleo suspenso numa árvore prova que o motor a gasolina poderia ser utilizado em um dirigível.

Haverá, ainda, um modelo em escala do hidroplano construído em 1907 e testado com três flutuadores. Um modelo em escala do Dirigível nº 6 estará nas proximidades de uma torre Eiffel estilizada, instalada numa base giratória, lembrando o momento em que, em 19 de outubro de 1901, Santos Dumont provou que o homem podia controlar o seu deslocamento pelos ares e conquistou o Prêmio Deutsch.

Além dos engenhos aeronáuticos, a exposição exibe outras criações de Santos Dumont. Ele teve a idéia de fazer um hangar com porta de correr, que será mostrado num modelo em escala, e a mesa multifuncional que projetou para trabalhar em sua Casa Encantada (Petrópolis, RJ). Estará na mostra também seu próprio figurino. Como era um esteta, na definição de Guto Lacaz, fazia questão de desenhar as golas de suas camisas, que lhe davam uma elegância impar. A exposição contará ainda com vídeo, painéis, plantas e desenhos técnicos.

Realização e doação do acervo
“Santos Dumont=Designer” é uma realização da Elo 3 Integração Empresarial, que formatou o projeto com a proposta de oferecer cultura de forma inclusiva e duradoura. Com a preocupação de não deixar que o interesse por Santos Dumont desapareça após as comemorações pelo centenário do vôo do 14-bis, a empresa incluiu em seu projeto a doação de todo o acervo produzido a um espaço de visitação pública. “Juntamente com os modelos e maquetes confeccionados, serão disponibilizados os arquivos digitais de todo o material educativo, para que a entidade recebedora do acervo possa continuar o trabalho com jovens e crianças”, explica Soraya Galgane, da Elo 3.

Serviço Educativo
A mostra Santos=Dumont Designer terá um programa educativo especial para alunos e professores no período da exposição. Serão realizadas visitas orientadas por monitores para escolas públicas e particulares. Haverá capacitação prévia de professores, com material didático impresso para professores e alunos trabalharem o tema Santos Dumont de forma multidisciplinar, em especial nas áreas de história, português e artes. A educadora e artista plástica Vera Barros vai coordenar os trabalhos deste programa educativo, tanto na preparação dos monitores quanto na capacitação de professores.

O material pedagógico estará disponível para cópia digital para que as escolas interessadas possam reproduzi-lo. Este material é destinado a professores e alunos para que sejam realizadas atividades em sala de aula sobre a vida e obra de Santos Dumont. Os interessados podem contatar a Elo3 pelo e-mail elo3@elo3.com.br ou pelo telefone (011) 3841-2520.

Catálogo
A mostra será acompanhada de um catálogo, com edição de Guto Lacaz e texto de Adélia Borges (diretora do Museu da Casa Brasileira e professora de história do design). A publicação apresenta um resumo das realizações de Santos Dumont no campo do design e destaca as múltiplas qualidades de Santos Dumont – “arrojo, persistência, sensibilidade, excentricidade, pioneirismo, capacidade de realização, criatividade, disposição de experimentar, engenhosidade e coragem” -, que, a seu ver, o tornam um exemplo para as novas gerações.

No dia 10/5, das 19h30 às 21h30, haverá uma palestra com o físico carioca Henrique Lins de Barros, estudioso da obra de Santos Dumont.

Visitação: de 3/5/06 a 30/7/06, de terça a domingo, das 10h às 18h

RECEBA NOSSA PROGRAMAÇÃO

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório
Entrar em contato

ter. a dom. das 10h às 18h

Skip to content