O mobiliário infanto-juvenil da casa paulista na década de 1950 e suas relações com o espaço físico da criança

Trabalho que estimula futuras pesquisas e aborda um tema de pouca literatura no Brasil, a dissertação investiga de forma cuidadosa como se deu a produção do móvel infanto-juvenil e as relações com o espaço destinado aos filhos nas residências. Traz mais do que o mobiliário infantil como objeto, contextualizando-o no que diz respeito à economia, sociedade, arte, design e arquitetura.

RECEBA NOSSA PROGRAMAÇÃO

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório
Entrar em contato

ter. a dom. das 10h às 18h