« VOLTAR

Mostra | Painel Educativo – Sabe-se – não se sabe o suficiente

Com o objetivo de apresentar recortes de trabalhos realizados na parceria do Educativo MCB com o CIAM – Centro Israelita de Apoio Multidisciplinar, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta a mostra ‘Sabe-se – Não se sabe o suficiente’, que será aberta no dia 7 de outubro, sábado, às 14h00, no jardim do museu. A entrada é gratuita.

A exposição será composta por 12 painéis com imagens e textos que representam um pouco dos três anos de parceria. “Queremos compartilhar com o público um trabalho elaborado em conjunto pelas duas instituições, em que o respeito às singularidades e à construção de vínculos foram sempre uma prioridade”, comenta Carlos Barmak, coordenador do educativo MCB.

Os visitantes do museu poderão conferir a mostra até o final de 2017 e perceber o quão importante é para os frequentadores do CIAM se reconhecerem como participantes ativos da vida da cidade de São Paulo.

Para Carina Muriel e Flavia Chwartzman, diretoras do CIAM e responsáveis pela parceria com o MCB, essa união é de extrema importância e valia para os residentes. “O museu possibilita, a cada novo encontro, um mergulho nas diversas linguagens da arte, oferecendo uma experiência de desconstrução daquilo que está dado. Assim, valorizados em suas singularidades, é possível ver o mundo sob diversos ângulos, com diferentes cores e formas”, afirmam.

 

“A coisa mais essencial na vida é estabelecer uma comunicação corajosa e sincera com os outros.”

 Sogyal Rinpoche 

O inútil e o desajuste são ideias que nos acompanharam por mais de três anos de parceria com o Centro Israelita Multidisciplinar – CIAM. Não estávamos educando nem preparando ninguém para operar na engrenagem do consumo ou na lógica da produtividade.

Escutamos.

Não acreditamos em inclusão ou exclusão, mas no ser-humano sensível, generoso, responsável, potente no seu enfrentamento com o mundo.

Criar é fazer. Fizemos muito.

Cultivamos flores, erros, escrevemos poemas, desenhamos, dançamos, cantamos, celebramos o silêncio, nos encantamos e nos manifestamos publicamente distribuindo pequenos papéis em branco para a população a favor dos direitos humanos, a favor das diferenças, a favor da paz, a favor do amor, a favor da vida.

Construímos relações com sujeitos viajantes, mergulhando em densidades poéticas. Nos perdemos no jardim, nos corredores, no terraço, na antiga biblioteca. Nos achamos perambulando pela casa, pelo museu, traçando uma cartografia imprecisa num emaranhado de riscos, linhas de errância onde o que interessa é tolerar as ambigüidades e saber se o viajante tem coração para sentir e olhos para ver.

Educativo MCB

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação contempla exposições temporárias e de longa duração, além de uma agenda com debates, palestras e publicações que contribuem na formação de um pensamento crítico em temas diversos como urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre as inúmeras iniciativas do MCB, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal reconhecimento do segmento no país, realizado desde 1986, e o projeto Casas do Brasil, cujo objetivo é resgatar e preservar a memória sobre a diversidade do morar do brasileiro.

Sobre o Educativo MCB
O Educativo MCB propõe práticas que articulam o olhar, o fazer e o pensar para que os visitantes assumam o papel de investigadores, pesquisando os conteúdos que o museu oferece em uma perspectiva contemporânea. A ideia é criar desafios para que os participantes das atividades educativas levantem questões a partir de suas próprias experiências e descubram novos sentidos ao relacionar a visita ao MCB com suas vidas. Visitas em grupos – como de instituições sociais e de ensino – podem ser agendadas previamente. A duração é de aproximadamente uma hora e meia. Grupos com mais de 25 pessoas são divididos em duas turmas. Visitas espontâneas podem ser realizadas individualmente ou em grupo.

 

Sobre Centro Israelita de Apoio Multidisciplinar – CIAM
Associação beneficente, sem fins lucrativos, há 58 anos o CIAM tem como missão prestar assistência à pessoa com deficiência intelectual e seus familiares, buscando desenvolver sua confiança, autonomia e inclusão na sociedade. Entre os principais objetivos técnicos da instituição estão a assistência à pessoa com deficiência intelectual e sua família; a promoção da inserção social e profissional de seus assistidos; e a busca do reconhecimento técnico no desenvolvimento da pessoa com deficiência. A instituição possui a unidade Jaguaré, que presta assistência social, intervenção precoce e atendimento gratuito a bebês, crianças e jovens (0 a 14 anos) e suas famílias. Em 2016 foram realizados mais de 8.200 atendimentos e distribuídas 92 cadeiras de posicionamento. Possui também a unidade Aldeia da Esperança, localizada em Franco da Rocha, um projeto de moradia assistida individualizada para pessoas com deficiência intelectual inspirada na experiência do Kibutz Kfar Tikva (Haifa – Israel). Atualmente possui 43 residentes.

SERVIÇO

Sabe-se – Não se sabe o suficiente

Abertura: dia 7 de outubro

Sábado, às 14h00

Entrada Gratuita