« VOLTAR

mostra | hugo frança: escalas em contraste

O pequeno fica ainda menor quando está ao lado de algo grandioso. Mostrar a beleza impactante das diferentes dimensões é a proposta da mostra Hugo França: Escalas em Contraste, que será inaugurada no Museu da Casa Brasileira no dia 13 de agosto, às 11h. O evento de abertura tem entrada gratuita. Produzir uma miniatura de cada peça confeccionada sempre foi uma rotina do Atelier Hugo França. Justamente por serem pequeninas e extremamente similares às originais, as peças sempre atraíram a atenção e admiração de quem as observa. Foi desse interesse e identificação notórios que surgiu a ideia de reunir essas pequenas notáveis como protagonistas de uma exposição. “Há muito tempo queria reunir as miniaturas das minhas criações em uma ocasião especial. Nada melhor que ter o Museu da Casa Brasileira como palco para mostrá-las pela primeira vez ao público, já muito acostumado a ver minhas obras em grandes tamanhos”, comenta Hugo França. Na mostra, as miniaturas dividirão espaço com peças monumentais, algumas idênticas à de tamanho reduzido, instaladas com o propósito de criar contrastes de dimensões e impactar quem passar pelos corredores e salas do museu. Para completar, haverá uma exibição de vídeos e fotos de processos de produção feitos ao longo da carreira do designer. Uma das peças produzidas por Hugo França tem origem em uma árvore do Jardim do MCB, que estava condenada e foi entregue ao artista no contexto da renovação das espécies nativas do Museu. A própria peça e o registro das etapas de trabalho estarão na exposição.
A inauguração da mostra “Hugo França: Escalas em Contraste” será realizada junto à inauguração de outras duas exposições: “Design Mirim” e “Projeto Balanço MCB+BOOMSPDESIGN”. O evento está no calendário do Design Weekend!
Ação de produção de mobiliário
Como programação paralela à exposição, no dia 27 de agosto, às 10h e 14h, o artista Hugo França realiza, no Jardim MCB, a transformação de três árvores condenadas em esculturas mobiliárias. A ação ja foi realizada em outros locais como o Parque Ibirapuera (São Paulo) e o Museu do Açude (Rio de Janeiro). 

Sobre Hugo França
Hugo França nasceu em Porto Alegre, em 1954. Em busca de uma vida mais próxima da natureza, mudou-se para Trancoso, onde viveu por 15 anos. Lá, percebeu o grau de desperdício na extração e uso da madeira, vivência que pautou seu trabalho. Desde o final dos anos 1980, desenvolve “esculturas mobiliárias”, expressão usada primeiramente pela crítica Ethel Leon e adotada pelo designer por sua precisão em descrever a produção que ele executa a partir de resíduos florestais e urbanos – árvores condenadas naturalmente, por ação das intempéries ou pela ação do homem.