« VOLTAR

CONVOCATÓRIA MCB: RESIDÊNCIA QUINTAL ABERTO


- Confira os projetos selecionados. 

Algumas casas possuem um vaso na janela, enquanto outras estão dentro de um jardim. Toda casa tem seu verde, sua parte intrinsecamente viva, que respira, absorve, germina. Com a proposta de integrar o morar, o habitar, com os espaços verdes, as plantas, e seus aspectos de produção de alimentos (horta-pomar), de lazer e de paisagismo, o MCB convida paisagistas, urbanistas, artistas, arquitetos, jardineiros, cozinheiros e pesquisadores em geral para uma residência que explore essa relação. Abrimos espaço para utilizar espaços verdes do Museu para intervenções, investigações ou experimentos que conjuguem a biodiversidade, a ecologia, a agricultura e a as sutilezas da relação homem-natureza.

Quais as intenções da residência?

A intenção da residência é abrir espaço para investigações sobre o Museu e seu acervo vivo, como as árvores, o quintal e a horta. Através dessa residência, estimular a reflexão, o  debate, a pesquisa e a difusão das artes, buscando consolidar o uso dos espaços verdes do MCB como um acervo vivo.

Qual a abordagem esperada?

Esperamos que os investigadores abordem o quintal como um território relacional, de forma que entendam as suas dinâmicas internas com a Casa, com o público e com os ciclos da natureza. A proposta é que o quintal do Museu seja visto como um laboratório vivo.

Temas para inspiração:

Câmera sensível a movimento para fotografar pássaros; experimentos em agroecologia com espécies voltadas para sombra; catálogo dos insetos existentes na horta; fotografia de microscosmos; projetos de escultura viva que considere os ciclos da natureza, os processos de germinação/ decomposição; comedouros atrativos para pássaros/polinizadores; mapeamento dos ninhos de abelhas sem ferrão; construção de hotéis de insetos; investigação arqueológica, escavando e listando os objetos e materiais encontrados; observar o comportamento das folhas e suas sobreposições; observar a agenda de florescimento das plantas; produzir algum alimento fermentado que precise ficar enterrado no solo do Museu por período determinado; bordado e estampas realizadas com base nas folhas caías e nas texturas das cascas das árvores; narrativas da história do Museu com base na origem geográfica das árvores e os processos de imigração/colonização; ilustração botânica; contação de histórias; receitas impossíveis; árvores invisíveis; catálogo medicinal; jardineiro guerrilheiro; vegetação vernacular; investigação em arte-ciência; tecnoxamanismo.

Qual o perfil que estamos procurando?

Buscamos investigadores que tenham curiosidade nos processos que ocorrem nos espaços vegetados do Museu, se comprometendo a realizar sua investigação dentro de um período determinado. Investigadores que queriam utilizar o espaço para pesquisas como iniciações científicas, teses e produção técnica também encontrarão no Museu disposição e abertura para suas pesquisas.

O que não estamos procurando?

Investigadores que possuam uma proposta já pronta e configurada, e que busquem apenas um espaço expositivo externo, que não se relacione com os demais trabalhos nem com as dinâmicas do jardim. O jardim, por ser tombado, não pode ser alterado ou danificado, especialmente em relação as árvores.

Palavras-chave para inspiração:

Impermanente, cíclico, decomposição, germinação, processos, terra, agricultura, vegetação, folhas, vento, mata atlântica, chuva, sombra, sol, madeiras de lei, quintal, bosque, ervas daninhas, PANC, hortas, estações do ano, insetos, pássaros, abelhas nativas sem ferrão, frutos nativos, sazonalidade, pomar, espécies, relações, raízes, mineral, vegetal.

Qual a contrapartida do Museu da Casa Brasileira?

Proporcionar um ambiente para imersão, com acompanhamento técnico do residente, para o desenvolvimento da investigação, criação e reflexão de maneira interdisciplinar.

Para pagamentos através de NOTA FISCAL

Valor bruto total de R$ 2.000,00 (dois mil reais) por residente limitando a três participantes, pagos em quatro parcelas mensais de R$500,00 (quinhentos reais), sendo que a primeira 30 dias após o início do projeto e as demais 60/90/120 dias. Neste caso, o contratado deverá apresentar nota fiscal mensalmente da própria empresa onde o participante deverá ser o sócio e os dados bancários para pagamento.

Serão retidos os impostos previstos em lei.

Para pagamentos através de RPA (Recibo Pagamento Autônomo)

Valor bruto total de R$ 1.666,67 (hum mil seiscentos e sessenta e seis reais e sessenta e sete  centavos)  por  residente  limitando  a  três  participantes,  pagos  em  quatro  parcelas mensais de R$416,67 (quatrocentos e dezesseis reais e setenta e sete centavos), sendo que a primeiros 30 dias após o início do projeto e os demais 60/90/120 dias. Neste caso, o   contratado   deverá   apresentar   uma   cópia   da   inscrição   do   PIS,   RG,   CPF comprovante  de  residência  atualizado  e  os  dados  bancários  para  pagamento. Haverá desconto de R$20,83 de ISS e R$45,83 de INSS, disponibilizando liquido o valor  de  R$350,00  por  parcela.  Caso  o  participante  recolha  INSS  pelo  Teto  por estar trabalhando atualmente através do regime CLT, deverá apresentar o último holerite e não será feita a dedução de R$45,83 referente ao INSS, alterando o valor liquido para R$395,84.

Serão retidos os impostos previstos em lei.

As participações podem ser coletivas, mas a ajuda de custo é individual para cada proposta. Será também entregue um certificado de que o investigador realizou a residência.

Qual a duração esperada da residência?

A duração da residência será de 4 (quatro) meses, pensando também na sazonalidade da natureza.

E as datas?

Inscrição: 11/06  a  02/07
*Serão  desconsideradas  as  inscrições  feitas  após  a  data  de encerramento.

Resultados: 23/07
*Os escolhidos serão divulgados no site e contatados pela equipe.

Início das atividades: 01/08

Final das atividades: 30/11

Data final para apresentação do processo investigação: 30/11

Como enviar o projeto?

Os projetos deverão ser enviados para o e-mail educativo@mcb.org.br. O título do e-mail  deve  ser  unicamente  “RESIDÊNCIA  QUINTAL  ABERTO”.  Para o envio do projeto, deverá constar:

  1. A) Enviar:

Sinopse, objetivo e justificativa do projeto (ou em formato PDF, em até 2 páginas, ou na forma de vídeo, com até 3 (três) minutos de duração), apresentando detalhadamente o conjunto de ações ser realizado + cronograma de realização do projeto (até 1 página em formato PDF).

  1. B) Anexo:

Currículo do proponente (para artistas, portfólio com até 5 imagens dos trabalhos mais relevantes)  +  formulário de inscrição, devidamente preenchido e assinado pelo proponente.

Como será feita a seleção?

Cada pessoa ou grupo pode escrever até 1 (um) projeto. Serão selecionados até 3 (três) trabalhos. O processo será realizado por uma Comissão de Seleção, composta por 3 (três) avaliadores, levando em conta a trajetória do (a) residente, a criatividade da proposta, sua exequibilidade, a viabilidade do projeto, e a abertura para a interação com os demais participantes, no contexto das práticas do Museu da Casa Brasileira e dentro das premissas do edital. Os (as) residentes pré-selecionados (as) serão entrevistados (as), via Skype ou pessoalmente, em data oportuna. O resultado da seleção será divulgado no site do MCB. A decisão é soberana e irrecorrível.

E os critérios de seleção?

Serão selecionados (as) os proponentes com idade mínima de 18 anos. Para os pesquisadores que desejam produzir iniciações científicas, trabalhos de conclusão de curso e artigos, esses devem estar devidamente matriculados em universidades e ter carta de aval do seu orientador/professor responsável. Ao se inscrever, o (a) residente receberá uma notificação, por e-mail, de confirmação de recebimento da inscrição.

Quais as restrições e regras?

O (a) investigador (a) deve estar aberto a trabalhar de maneira colaborativa, coletiva e experimental. O (a) residente terá acesso ao espaço do Museu aos dias úteis, finais de semana e feriados, e sua utilização deverá respeitar as Regras e Condições de Uso. O (a) residente se responsabiliza em realizar sua investigação, que será acompanhado pela equipe do educativo. O (a) residente selecionado (a) deverá assinar um termo com o MCB, se comprometendo a aceitar o Regulamento e os Termos e Condições da Residência, não implicando em vínculo empregatício. O (a) residente selecionado (a) ficará responsável pela preservação dos e bens nele presentes. É de responsabilidade do investigador (a) encontrar uma forma de registro escrito ou imagético dos processo/resultados do trabalho desenvolvido.

Quem conduzirá o processo?

O processo será supervisionado pelo Educativo do Museu da Casa Brasileira, pelos educadores:

Guilherme Reis Ranieri, educador, gestor ambiental (USP) e mestre em ciência ambiental (USP), especialista em etnobotânica de quintais e plantas alimentícias não convencionais.

Flavia Mielnik, educadora, artista visual formada em artes plásticas pela FAAP, pós-graduada  na Universidade Complutense de Madrid, participa de exposições e residências no Brasil e exterior.

Clique abaixo e faça a sua inscrição:

Inscri__o_Resid_ncia_Quintal_Aberto__MCB.pdf